PESQUISE NESTE BLOG

Carregando...

terça-feira, 28 de julho de 2015

Símbolos da Profissão do Serviço Social


No que se refere ao Anel de Formatura, é composto pelos seguintes elementos: uma Pedra de cor Verde e de origem brasileira, extremamente singela, que simboliza a esperança e a sinceridade. Logo, por sua simplicidade, não seduz ninguém a querer falsificá-la.

Imagem retirada de:
evenit.com.br
As transformações sofridas pelos símbolos, tiveram importante função de adequá-los à realidade profissional. A pedra “necessita” ser, de fato verde e representar esperança, assim como sinceridade, haja vista a dura tarefa do Assistente Social, ao lidar com problemas seculares, onde as medidas tomadas para saná-lo são, na maioria das vezes, paliativas e de cunho assistencialista.

No mesmo Anel pode ser encontrada a representação da Estrela dos Reis Magos, que nos reporta para o ato desses antigos anciãos, que se desprenderam de seus bens e os ofereceram ao Menino-Deus, cujo caminho for seguido, leva à Luz. Representa ainda o espírito fraterno universal e o sacrifício pelo bem dos demais.

A profissão requer, sem dúvida, esta doação ao lidar com os problemas dos usuários. A dificuldade é que, estamos tratando de símbolos e é realmente assim que eles funcionam: trazem uma recomendação a ser seguida e que guiará o profissional, mas na maioria dos casos, a realidade impositiva e coercitiva, induz o profissional a agir de maneira distorcida e contrária, uma vez que a hegemonia capitalista e as relações sociais, de hierarquização e monopólio de capital e propriedade, principalmente, levam-no a atuar, tendo que pôr em prática as ideologias dominantes e se esquecendo desse principio fraterno e de bem comum para todos.
Porém, o símbolo maior é a Tocha com a Balança: que exprimem o caráter de justiça, especialmente a justiça entendida sob o crivo da moral. Exprime também que, a partir do amor e da vontade tudo pode ser removido.
Imagem copiada de: educap.org.br
De fato deve ter - o profissional - a capacidade de lidar com os usuários de maneira humana, tendo em vista que está se tratando de relações sociais, de indivíduos ou de grupos, de maneira que um diagnóstico mecanicista pode levar a agravar a situação em análise. Também deve estar a par dos mecanismos éticos e morais que norteiam a conjuntura social, onde este profissional está inserido, isto é, atuando no seu campo de trabalho, podendo assim mediar seus usuários a buscarem a subsistência necessária, assim como o acesso aos direitos, sem ferir a moral ou sem nela estar inserido.
JaloNunes.