PESQUISE NESTE BLOG

Carregando...

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Poesia: Os Primeiros Filósofos Gregos: dos Pré-Socráticos - Aristóteles


O amor pelo saber
Fez nascer uma disciplina,
Ela quer um melhor viver
Das outras está acima.

Séc. VII/ VI a. C.

Ela nasceu na Grécia
Pelos Gregos foi criada,
Para superar a inércia
Dos Mitos da temporada.

Com Philos, temos Amor
Reinando pouco hoje em dia.
O nome modificador
Tem-se com Sabedoria (Sofhia).

Temos uma sabedoria completa
Buscando a explicação,
Ao estudá-la ficamos em alerta
Pois, trabalhamos com a Razão.

Muita gente apareceu
Querendo apenas descobrir,
O que aconteceu...
Pra hoje estarmos aqui.

Primeiro os Naturalistas
Filosofia da Cosmologia
Sempre em busca de pistas
Superando a Cosmogonia.

Buscavam na Physis­ (Natureza)
O Arché de tudo
Não propunham com certeza,
Mas faziam seus estudos.

Séc. VI a. C.

A Escola Jônica surgiu
Buscando a verdade em suma,
Traçando o seu perfil
Através da natureza Una.

 
Séc. VII a. C.

624-23 a.C.

Tales de Mileto foi quem começou
E logo deixou sua marca
Disse:- a Água tudo criou
E que ela tudo abarca...

Todas as coisas do mundo
Terão uma passagem:
Se é vivo é úmido
E pra morrer há uma secagem.

A terra, não passava
De um disco boiando,
Por água rodeada
Criando e renovando.

Mas, por aí não parou,
Dizendo com força total
Veio o seu sucessor
Negando que a água era o principal.

Séc. VII a. C.

610-09 a. C.

O Ápeiron, veio afirmando
Que era o primordial,
O Filósofo Anaximandro
Ainda no contexto natural.

Era bastante limitado
O Ápeiron desigual
Qualitativamente indeterminado
Formando o mundo geral.

Mas, para ele a terra...
Era uma cilíndrica coluna.
Essa primeira etapa não se encerra...
Vejamos outros da teoria Una.

Séc. VI a. C.

565-84 a. C.

Anaxímenes, figura paradigmática
Da Escola Naturalista
Respirando o ar da vida
Deixou sua teoria à vista.

Disse ele ser o Ar
Através da Rarefação
Que fez tudo criar
E também pela Condensação.

Anaxímenes afirmou consciente
Que a terra era um disco
Mas, de Tales diferente
Estaria ela suspensa, em risco.

Séc. V a. C.

Porém outro filósofo veio
Heráclito, seu nome era,
Na natureza buscou um meio
De dizer quem tudo gera.

Através do Vir - a - ser
De uma essência criadora
Disse, então, o Fogo ser
Essa essência geradora.

Disse ele tudo se mover
- Muda-se tudo em geral
Aceita o Ser e o Não ser,
O fogo é Logos, lei racional.

Heráclito deixou sua teoria
Dando lugar para outros
Mais uma vez mudou a Filosofia
Aparecendo outros rostos.

Os Pitagóricos vieram
Os Jônios, eles renegaram
Sem fazer nenhum mistério
Os Números apresentaram.

571-70 a. C.

Pitágoras foi o fundador
Afirmando sem nenhum medo
Que o número era o criador
Contou isso ao povo grego.

Através do Ilimitado,
Por meio do Imperfeito,
E ainda o Limitado
E a força do Perfeito.

Seria o Ímpar e o Par,
O Multíplice para enriquecer
O Pior, o Melhor para completar
E o inexplicável Vir a ser.

Todas estas reações
Fizeram Pitágoras crer
Que os números tinham ações
E foi quem fez tudo nascer.

Mas apareceram os Eleatas
Filósofos de renomes
Com a Escola Eleática
Fundada por Xenófanes.

Critica Hesíodo e Homero, então
No tal Antropomorfismo
O Deus estaria numa dimensão...
...Cosmológica! Critica a Physis.

Séc. VI a. C.

Parmênides abandona a Cosmologia
Dizia que o princípio era o Ser.
Trabalhou com a Ontologia
Para ele não existia o Não ser.

O ser era não criado, incorruptível
Ele era um eterno presente,
O ser seria todo igual
Imutável e imóvel, consequentemente.

Séc. V a. C.

490- 430 a. C.

Com Argumentações Dialéticas
Surgiu o pensador Zenão de Eléia
Como filósofo, tem uma meta:
Sobre a criação é a sua ideia...

Seu argumento era uma Dicotomia
Não havia avanço de movimento,
Um caminho jamais se percorreria
Pois ele poderia se dividir em pontos infinitos.

492 e 432 a. C.

Empédocles foi Pluralista
Usou vários elementos da Physis,
Tendo sempre em vista
A união das Quatro Raízes.

São elas: a Água, a Terra
Para tudo criar,
Mas aí não se encerra
Uniu também: o Fogo e o Ar.

As raízes uniam-se com o Amor
Com a Amizade também,
O Ódio não era criador
Com ele e a Discórdia nada se tem.

500 a. C.

Anaxágoras apareceu
Discípulo de Anaxímenes
Concordou com Anaximandro,
Esses dois ele bem conheceu.

A constituição do real
Vinha por meio de Partículas
Numa união insaciável,
Algo menor que gotículas.

Homeomerias eram chamadas,
Mínimas, eternas, imutáveis,
De diversas qualidades,
Quantidades infinitas e inevitáveis.

460- 370 a. C.

Entrou em cena Demócrito
Fundou a Escola Atomística,
De Parmênides, aceitou o ser,
Mas, pelo vazio, se tinha um não ser.

Disse com exatidão
Num pensamento sensato
Que o senhor da criação
Foi o minúsculo Átomo.

Ainda à alma explicou,
Disse de átomos ser feita
Mas com um toque especial,
Numa sutileza perfeita.

470 – 469 a. C.

Sócrates faz uma divisão
Na nossa Filosofia,
Através da Introspecção
Fundou sua teoria.

Ao Humano dá prioridade,
A Ética e a Moral,
Com objetivo de praticidade
Sem Metafísica, mas Espiritual.

A Gnosiologia seria, então:
Ironia, Maiêutica, Introspecção,
Com a Ignorância e a Indução,
E como o ato do parto, a Definição.

Séc. V a. C.

Apareceram os Sábios Pedagogos
Sofistas eram chamados
E sem esconder o jogo
Pelos ricos foram aclamados.

Em troca de dinheiro, ensinavam
O Discurso Perfeito
E com isso intrigavam
Os filósofos de respeito.

Protágoras foi o sofista principal
Por Sócrates foi criticado,
Mas eles contribuíram para o estudo geral
Deixaram seu método marcado.

428 ou 427 a. C.

Sócrates foi mestre de Platão
Que fundou a Academia
Através da Especulação
Perpetuou sua Filosofia.
  
A Metafísica iria para além do chão
Aceitou a Cosmologia
Distinguiu Ciência de Opinião
Fazendo uma Ontologia.

As Almas e o Demiurgo
Entre as Ideias e a Matéria
O Bem era maior que tudo
E a Divindade era coisa séria.

Portanto, para Platão
As Ideias era o Real,
Tudo que vemos, Sombras são
Do Inteligível, Mundo Ideal.


384 a. C.

Temos uma mente brilhante
Rejeitando o Inteligível de Platão
Posso falar nesse instante
De Aristóteles, prestem atenção!

Aristóteles não “se conectou”
Com o mundo inteligível
Fundou a Escola Peripatética,
Buscou a Ciência infalível.

Obras, escreveu mais de mil!
Seus escritos: Lógica, Física;
Metafísica, Moral, Política;
Retórica e Poética e Filosofia Teorética.

Sua filosofia abrangeu o Ser
Dividiu-se em Teorética, Prática e Poética,
Buscou o saber universal
A Filosofia Aristotélica.

Sua Metafísica
Retratou o ser como ser
Abrangeu Deus e a Nação,
A finalidade das coisas queria entender.

Por ele, Deus era representado.
Chamado de Ato Puro,
Mas ele afirmou, contudo,
Haver outros subordinados.

Conceituou: Teologia, Moral
Religião, Arte e Cosmologia,
A Política, a Psicologia, o real;
Sua Metafísica contagia.

Tudo, movimento tem,
Numa Mecanicidade total
Através do Primeiro Motor
Que era imóvel, porém.

Daí então, tudo se encadeia
Os próximos negam, porém...
Reformulam, adicionam, nomeiam,
Como os antigos, estão na terra e vão ao além.
JaloNunes.