PESQUISE NESTE BLOG

domingo, 21 de setembro de 2014

1 - Uma força chamada Natureza

Que é a Natureza, senão a mais intensa e pura expressão de uma força que se encontra além da nossa compreensão real e do nosso domínio, por completo...? Muitos já a desafiaram e viram cair em desastre os seus "planos", sobre o solo, sobre as águas, sobre as montanhas e muito mais: uma força corrosiva, mas corretiva, afinal!
Aqui entendemos Natureza como uma "suposta força que criou e mantém a ordem natural do universo".
E por que nós somos meros seres perecíveis e a Natureza, em seu conjunto, não o é? Porque, ao inverso de nós, a Natureza é composta por um complexo e assim ela age, reage e se refaz, sempre que necessário...
Todas as fotos foram feitas no Município de Palmeira dos Índios - Alagoas, Nordeste do Brasil.
 
 
   

domingo, 14 de setembro de 2014

Torre de Belém - Lisboa, Portugal


“A Torre de Belém (ou de São Vicente) foi construída em homenagem ao santo patrono de Lisboa, São Vicente, no local onde se encontrava ancorada a Grande Nau, que cruzava fogo com a fortaleza de São Sebastião. Localizada na margem direita do rio Tejo, onde existiu outrora a praia de Belém e inicialmente cercada pelas águas em todo o seu perímetro, progressivamente foi envolvida pela praia, até se incorporar hoje à terra firme (...). Classificada como Monumento Nacional desde 1907, é também considerada pela UNESCO como Patrimônio Cultural de toda a Humanidade desde 1983. O arquiteto da obra foi Francisco de Arruda, que iniciou a construção em 1514 e a finalizou em 1520. Como símbolo de prestígio real, a decoração ostenta a iconologia própria do Manuelino, conjugada com elementos naturalistas. O monumento reflete ainda influências islâmicas e orientais, que caracterizam o estilo Manuelino (...).
Parte da sua beleza reside na decoração exterior, adornada com cordas e nós esculpidas em pedra, galerias abertas, torres de vigia no estilo mourisco e ameias em forma de escudos decoradas com esferas armilares, a cruz da Ordem de Cristo e elementos naturalistas, como um rinoceronte, alusivos às navegações. O interior gótico, por baixo do terraço, que serviu como armaria e prisão, é muito austero. A sua estrutura compõe-se de dois elementos principais: a torre e o baluarte. Nos ângulos do terraço da torre e do baluarte, sobressaem guaritas cilíndricas coroadas por cúpulas de gomos, ricamente decoradas em cantaria de pedra. A torre quadrangular, de tradição medieval, eleva-se em cinco pavimentos acima do baluarte[1]”.

Visitar esta Torre apenas uma vez é pouco, porque ela não se mostra bela (no todo) de uma só vez, mas deixa-se ver - sempre - com alguma beleza, a cada vez que a visitamos; portanto, em cada visita se descobre um algo mais (belo) desde a sua configuração até o espetáculo das águas do Tejo, ora baixas, ora altas...
Por sua beleza e localização, a Torre atrai diversos visitantes/turistas.
 

Há também um grande e belo jardim (praça pública), que antecipa-nos a sua chegada.
 
 
 
Alguns elementos ajudam a compor os ambientes internos.
 
 
 
 
 
 
 
Uma sensacional visão para o Rio Tejo.

[1] Disponível em: http://www.guiadacidade.pt/pt/poi-torre-de-belem-13998 Acesso em ago. de 2014.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Um pedacinho de São Paulo/ SP

Em fevereiro de 2012, meu irmão fez uma viagem a São Paulo (capital), a trabalho, inclusive para visitar uma feira de negócios. Entre uma atividade e outra, eis que havia palestras, shows: Lulu Santos, Escolas de Samba: musas de carnaval, entre outros.
Mesmo que não se tratasse de um passeio turístico foi tudo muito proveitoso e ele ainda trouxe algumas marcas da "selva de pedra", a maior do Brasil.
Mas, somente agora resolvi ver o que podia se aproveitar, dentre as várias fotos que ele fez; e olha que não se aproveitou muita coisa, acho que ele esteve preferindo aproveitar mais e deixou as fotos em 2º, 3º ou 4º planos.