PESQUISE NESTE BLOG

Carregando...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Poesia - Fascículos de Gramática


Abri a Gramática e...
Disponível em:
pensamentosporsandra.blogspot.com
Deparei-me com um Parônimo
E conhecimento eu “absorvi
Mas depois com certo recalque
A tentação diária, “absolvi".

Senti-me um real “cavalheiro
Mas aquela mocinha
Às etiquetas enxota,
Quando fiz papel de “cavaleiro”.

E como a perdoei?
Trafegando na rua a “cumprimentei
Mas, ela, desdenhando...
À nossa localização fez “comprimentos”.

Que inútil, pensei!
Não sabe usar-se de “discrição
Quisera ela ser cortês como o sou;
Ela só faz ações sem pensar, não “descreve”.

Quando aqui “imigrou
Não esperava nossa receptividade;
Quisera eu, agora “emigrar
Da convivência desta dona!

Mesmo que explore ótimo “fragrante
Assusta pela tenacidade,
Em ridículos e “flagrantes
Remete à situações de vaidade.

Tivesse eu um “fuzil
Engatilhava-o e usava-o
Porque é notadamente “fusível
A petulância do seu ser...

Ela precisa libertar-se
Das cinzas “emergir
E sua ação impensada “imergir
Tornando-se humanamente melhor!

Meus saldos vão a maior “inflação
Em detrimento dos seus caprichos
Porque ela é uma ambulante “infração
Sinônimos de gastos, de riscos...

E devido ao fato de “infringir
Ela causa-me dor de cabeça
Por isso terei que sobre ela “infligir
Caso eu queira viver sossegado!

Porque viver com ela é um “tráfico”;
Viver sem ela é um horror;
Já que é esse dialético “tráfego
Que nos faz morrer de amor!
JaloNunes.