PESQUISE NESTE BLOG

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Museu Nacional dos Coches - Lisboa/Portugal

"Criado por iniciativa da Rainha D. Amélia de Orleãns e Bragança, mulher do rei D. Carlos I, o Museu dos Coches Reaes, como então se chamava, foi inaugurado no dia 23 de Maio de 1905".
"D. Amélia, senhora de grande cultura, toma consciência do valor patrimonial das viaturas de gala da Casa Real e com o apoio de Monsenhor Joaquim Boto, Cônego da Patriarcal de Lisboa e do Conselho do Rei e do seu Estribeiro-Mor, Tenente Coronel de Cavalaria Alfredo Albuquerque, propõe-se reuni-lo, salvaguardá-lo e apresentá-lo ao público à semelhança do que acontecera, pela primeira vez em Paris em 1900, na Exposição Universal". 
"O local escolhido para a sua instalação foi o Picadeiro Real de Belém que deixara de ser utilizado e onde, há época, já se encontravam armazenadas algumas das principais viaturas da corte e para onde a rainha fez convergir os antigos carros nobres da Casa Real Portuguesa e respectivos acessórios, patrimônio que se encontrava disperso pelos vários depósitos e cocheiras dos palácios reais".
"Da primitiva coleção faziam parte 29 viaturas, fardamentos de gala, arreios de tiro e acessórios de cavalaria utilizados pela Família Real".
"Após a implantação da Republica, em 1910, o Museu passa a designar-se por Museu Nacional dos Coches e o seu espólio foi enriquecido com outros veículos da Coroa, do Patriarcado de Lisboa e de algumas casas nobres".
"Hoje o Museu reúne uma coleção que é considerada única no mundo devido à variedade artística das magníficas viaturas de aparato dos séculos XVII, XVIII e XIX e ao número de exemplares que integra".
"De entre os veículos expostos destacam-se coches, berlindas, carruagens, seges, carrinhos de passeio, liteiras, cadeirinhas e carrinhos de criança formando um interessante conjunto que permite ao visitante compreender a evolução técnica e artística dos meios de transporte utilizados pelas cortes europeias até ao aparecimento do automóvel".
"Completam a coleção um núcleo de arreios de tiro, arreios de cavalaria, selas, fardamentos de gala, de armaria e acessórios de cortejo setecentistas de que se destaca um conjunto de trombetas da Charamela Real bem como uma galeria de retratos a óleo dos monarcas da Dinastia de Bragança[1]".
Berlinda da Casa Real. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Berlinda de D. Maria I. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Berlinda de Carlota Joaquina - século XVII. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Carro de criança. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Coche de Felipe II. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Coche de D. João V. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Coche de D. José. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Coche de D. Maria Francica Saboia. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Coche de D. Maria Francica Saboia - século XVII. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.

Coche de D. Maria Francisca Benedita. Museu Nacional dos Coches.
Coche de D. Mariana Vitória. Museu Nacional dos Coches.
Coche dos Patriarcas - século XVII. Museu Nacional dos Coches.
Detalhe do Coche da Embaixada do Papa. Museu Nacional dos Coches.
Coche da Embaixada do Papa. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.

Coche do Infante D. Francisco. Museu Nacional dos Coches.
Lisboa - Portugal.
Arreios de época - Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Arreios - Museu Nacional dos Coches.Lisboa - Portugal.
Pátio central do Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Arreios - Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Arreios - Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.
Selas e mantos - Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Uma tomada de cima do vão repleto de coches - Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Chaves e medalhas inerentes- Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.
Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.

Museu Nacional dos Coches. Lisboa - Portugal.


domingo, 5 de maio de 2013

Santuário da Mãe Rainha/PE



No mês de maio: dedicado a Maria e as Mães, o Descanso para Loucura apresenta um pedacinho do belíssimo Santuário da Mãe Rainha (Três Vezes Admirável), em Garanhuns - PE.
O “Movimento da Mãe Peregrina, criado no RS em 1950, cresceu, se espalhou e ganhou imitadores”.
Há circulando umas “140 mil imagens da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável, mais conhecida como Mãe Peregrina, que diariamente vão de casa em casa no País. Elas atingem mais de 4,2 milhões de famílias católicas (...)”.
“O movimento das imagens itinerantes começou em 10 de setembro de 1950. A religiosa Teresinha Gobbo, do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt, mandou fazer três capelinhas. Escolheu três católicos de Santa Maria - RS, e deu uma imagem para cada um. Com a singular missão: fazer a Santa visitar uma família por dia”. 
“(...) cada família participante recebia a imagem uma vez por mês. No dia seguinte, tinha de levá-la a um vizinho, que fazia o mesmo (...)".
“O Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt utiliza a tradição como ferramenta de evangelização. O objetivo é resgatar os valores da família cristã e a dignidade humana (...)”.
“(...) um dos principais divulgadores do movimento é o padre Antônio Maria (...). Ele tem uma réplica particular da capelinha. ‘Sou inseparável dela’, conta. ‘Levo-a em todas as viagens que faço’. Ela ‘conhece’ os principais santuários marianos do mundo e já foi abençoada pelos papas João Paulo II e Bento XVI”.
“(...) nos lares do país com o maior número de católicos do mundo, a semente plantada graças ao suor e às solas de sapato (...); as famílias que recebem a Mãe Peregrina mostram, com fé, que continua a tradição iniciada por Pozzobon: divulgam a devoção mariana e persistam na oração do terço[1].
Entrada principal do Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.
Esta primeira imagem da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE, recebe os fiéis ou simplesmente, os visitantes!

Um grupo de motoqueiros de Palmeira dos Índios-/AL, visitou o Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE, em 2012.
A paz que reina no Santuário, tem muitos dessas flores (margaridas e outras), em belos jardins!
"Rosas quiabo vermelhas"!
Uma das partes mais visitadas do Santuário é esse altar dedicado a Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.

Inúmeros fiéis e visitantes no Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.
Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.

A capela que comporta o altar acima mostrado. Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.
Ao lado há outra capela usada para a celebração de missas. Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.

Vários visitantes, devidamente fardados, para identificação do local que visita! Santuário da Mãe Rainha.
Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.

Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.
Fila pronta para visitar a imagem da Mãe Rainha!
Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.
Motoqueiros de Palmeira dos Índios/AL, que foram visitar Santa Quitéria, visitam também o Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.
Santuário da Mãe Rainha, em Garanhuns/PE.

[1]  Partes d’um texto copiado de: <http://www.santuariodojaragua.com.br/> Acesso em mar. de 13.