PESQUISE NESTE BLOG

Carregando...

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Coletânea de Poesias - APSEF - ano 2003

1º lugar

GRÃOS DA TERRA
José Arlindo G. de Sá - PE

Minha gente virou candeia
Gente de pequenos andores
Que passeia pelas veias
Embriagada de finos licores.

Meu amor assim virou lenda
Tornei-me uma lenda também
Cálice de vinho, oferenda
Sabor do verso de querer bem.

Meu pássaro virou semente
Que há muito tempo plantado
Povoando com o verso quente
No mais longo sonho brotado.

Deixando o sol no seu ventre
Fecundar esse grão sagrado.


2º lugar

AS ESTAÇÕES
Francisco Simões Calixto - MG

E a primaver avestiu-se de flores...
Se fez tão linda... linda e perfumada
Para se dar a um verão cheio de amores
E desfaleceu dengosa, semidesmaiada

E o verão que era tão fogoso e forte
Foi enfraquecendo, ficou abatido
Que de tão fraco, preferiu a morte
E pelo Outono ele foi vencido

E o outono enfim, tão despudorado,
Foi se despindo da roupagem antiga
Se despindo tanto que ficou pelado
E o inverno então se instalou se briga.

E chegou o inverno a tremer de frio
Veio em busca de uma companheira
Caiu nos braços de uma no cio
Quando se encontrou com a Primavera.


3º lugar

AMOR UNIVERSAL
Geraldo Antônio Rodrigues - SP

Na solidão de meu interior
Desejei a Deus orar, talvez
Na sua majestade divina
Por mim não pudesse olhar
Flâmeo coração, fulgente,
Raios benfazejos
Maior que o astro solar
Inundando a humanidade
De amor universal.

Embora meu esforço e
Toda a humanidade visitar
Espargindo amor e paz
Ajoelhei, inerte, prostrado
Como posso salvar o mundo?
Se nem o meu fado maculado
Mal consigo carregar
Como posso minha luz de vela


Disponível em:
Coletâneas de Poesias/ Associação Nacional dos Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal. - Brasília: LGE Editora, 2007. 276 p.